Bemvindo ao CF Spot!

Este é o ponto de encontro do movimento Convívios Fraternos online. Es tu, é a tua comunidade e partilha! És conviva? Junta-te a nós!

Entra para seguir isto  

Dá-(te) em Missão - 46º Encontro Nacional dos Convívios Fraternos

    161 Visualizações     0 comentários    

Ler mais sobre Dá-(te) em Missão - 46º Encontro Nacional dos Convívios Fraternos

Realizou-se nos dias 7 e 8 de setembro no Santuário de Nossa Senhora de Fátima o 46º Encontro Nacional do nosso movimento que este ano, como preparação e reflexão, por estarmos a terminar o Ano Missionário, escolheu como tema: «DÁ-TE EM MISSÃO»
Da parte da tarde, no dia 7, começou a sentir-se o recinto mais colorido e movimentado pela chegada dos jovens e casais do movimento que por ele se movimentavam a caminho do Centro Paulo Vi onde se ia iniciar a peregrinação com o acolhimento dos peregrinos e as celebrações da Penitência coletiva e individual.
Já à distância e á medida que nos íamos aproximando, sentíamos um ambiente de juventude e de alegria, pelos acordes das violas e os cânticos que ecoavam.
Quando nos aproximamos sentimos a alegria contagiante de algumas centenas de jovens num ambiente festivo e colorido pala variedade de cores das camisolas que vestiam, cantando, saltando, girando, vivendo a alegria de serem jovens.
Por volta das 14h45, os jovens cantando começaram a entrar no Salão do Bom Pastor sendo as dioceses tornadas presentes e identificadas por um cântico. O salão com 900 cadeiras, ficou completo.
Iniciou-se a celebração coletiva da penitência com um cântico apropriado durante o qual alguns jovens desmontaram um puzzle representando um vaso, espalhando as peças pelo salão enquanto cenas de destruição dos homens iam passando num écran....
Após a proclamação do Evangelho, o celebrante, P. Valente, num breve comentário, explicou a razão pela qual a nossa peregrinação se inicia sempre com a celebração da penitência.
No fim da Celebração Coletiva da penitência, que terminou com a reconstrução do puzzle, enquanto os jovens que não precisavam de reconciliação individual regressaram para o átrio do Centro Paulo VI fazendo a Festa da Ressurreição. Enquanto algumas dezenas de jovens aguardavam em silêncio a oportunidade de serem acolhidos por um sacerdote.
Quando soaram, no relógio da Basílica de Nossas Senhora do Rosário, as 17H00, o hino dos convívios, entoado por um coro de convivas da diocese de Santarém que orientava a celebração a Nossa Senhora, ecoou por todo o recinto, enquanto os convivas de todas as dioceses com os seus símbolos e estandartes, em cunha, desfilavam para a Capelinha das Aparições
Depois de concentrados em frente da Capelinha, o Assistente Nacional e Fundador do Movimento, P. Valente de Matos, saudou os peregrinos, realçando a presença dos jovens e casais convivas, afirmando:
Ao iniciarmos este 46º Encontro Nacional do nosso movimento, eu quero saudar e felicitar todos os jovens e casais convivas e desejar a todos os peregrinos que neste momento se encontram neste lugar sagrado onde Nossa Senhora apareceu aos 3 pastorinhos, as boas vindas e as melhores bênçãos de Deus.
Escolheu o movimento para reflexão e preparação desta peregrinação, o tema «DÁ-(TE) EM MISSÃO» Ao terminar este ANO MISSIONÁRIO em que os nossos Bispos mobilizaram todos os cristãos com a proposta: TODOS, TUDO E SEMPRE À MISSÃO, quando estamos a preparar as jornadas mundiais da juventude, quando no último Sínodo dos bispos, sobre o lugar dos jovens na Igreja, e na respetiva exortação final «CRISTO VIVE» o Papa Francisco afirmou «OS JOVENS SÃO A ESPERANÇA DA MISSÃO»,
E quando D. António Augusto Azevedo, bispo do Sínodo, afirmou:
«O sínodo será oportunidade perdida se a igreja não valorizar o papel dos jovens», forçosamente os jovens hoje tem que ser uma preocupação dominante da igreja.

 

“Vale a pena viver a sua mensagem pois só ela preenche os vazios dos corações e dá sentido à nossa vida”;

 


Este tema «dá-te em missão» é uma resposta do movimento dos Convívios Fraternos a está preocupação da Igreja e do Papa que gostaríamos encontrasse espaço, resposta e apoio em todas as dioceses de Portugal e a nível nacional
As palavras que há 2 mil anos Cristo Ressuscitado, antes da sua Ascensão ao Céu, dirigiu aos seus apóstolos, «Ide, ensinai todas as “nações” a cumprir tudo quanto vos ensinei, e eu estarei sempre convosco» (Mat. 28,19 9), queridos jovens e casais convivas: a vós que fizestes um inesquecível encontro de amor com Cristo, na experiência do vosso Convívio, que vos entusiasmaste por Ele, que sentiste toda a Sua sedução e a sua infinita misericórdia e com Ele, consciente e responsavelmente, vos comprometeste, reassumindo solenemente o vosso compromisso batismal, eu queria lembrar-vos:
Que este mandato, este envio feito há dois mil anos aos apóstolos, é hoje e aqui dirigido a cada um de vós neste 46º Encontro Nacional, aos pés de Maria, a profetisa dos novos tempos, enviada por seu filho aos Santos Francisco e Jacinta e à Beata Lúcia para, há 102 anos, pedir aos homens, a todos nós, conversão e mudança de vida.
Nesta sociedade materialista e consumista em que vivemos e em que, sobretudo os jovens, se ausentaram de Deus, vivem o relativismo da vida, se deixam dominar pelo virtual tantas vezes alheando-se das realidades e baralhando-se com tantas quimeras, procurando apenas o material, o ter o possuir, o gozar os prazeres da vida sem quaisquer vislumbres do sobrenatural, do divino; porque os profetas da antiga Aliança, com a vinda de Cristo ao mundo acabaram, e nesta nova Aliança todos nós, por inerência do nosso batismo, somos profetas, porque participamos do profetismo de Cristo; por isso, queridos convivas, como profetas destes tempos, ide agora em missão, revelar a todos os jovens de hoje a infinita misericórdia de Deus para connosco testemunhar o amor inesgotável de Cristo por todos e cada um de nós levado até à morte de Cruz;
ide proclamar que Ele está vivo, ressuscitado no meio de nós e em nós pelo seu Espírito, dizer-lhes que vale a pena viver a sua mensagem pois só ela preenche os vazios dos corações e dá sentido à nossa vida;
ide pedir-lhes que O aceitem sem medo, mas com alegria, porque só Ele é o amigo de agora, de todas as horas, que nunca atraiçoa, que nunca abandona, sempre disponível para nos ajudar e perdoar;
ide lembrar-lhes que a vida não acaba com a morte, mas desfeita esta morada terrena que é o nosso corpo, como nos afirma a liturgia da Igreja, uma nova morada se adquire na glória de Deus onde seremos para sempre felizes.
Não abdiqueis de tão grande responsabilidade, de tão nobre missão e não esqueçais as palavras dos Padres do Vaticano II: os jovens, pela sua condição, são os primeiros e os privilegiados apóstolos dos outros jovens.
Ide, dai-vos à missão.

69873342_2557612810967948_8493208758808215552_n.jpg.e1c43f0208b9a85d72d65ff5f0a8d296.jpg
Terminada a Celebração a Nossa Senhora as dioceses dirigiram-se para diversos locais por elas escolhidos para fazer o seu encontro diocesano.
No fim do terço e da Procissão das Velas, por volte das 23h00, começou o anfiteatro do Centro Paulo VI a encher-se de convivas para participar no Sarau, este ano subordinado ao tema «DÁ-TE EM MISSÃO» Houve nele momentos de paz, de reflexão, de juventude, de alegria, de luz e de som inolvidáveis a que assistiram milhares de convivas que enchiam o anfiteatro.
Felicitamos as 11 dioceses que nele participaram com tanto engenho e arte.
A peregrinação teve o seu momento alto na celebração da Eucaristia às 12h00 no altar do recinto. Pela primeira vez, nestes 46 anos, não foi permitido ao movimento, no momento de ação de graças, fazer a consagração de todas as dioceses a Nossa Senhora, com a respetiva encenação, o que desmotivou muitos jovens de nela participarem e a dispersão dos presentes pelas sombras do recinto.
Presidiu à Concelebração Eucarística, o Sr. D. Manuel Felício, Bispo da Guarda, que na sua homília, referindo-se ao movimento, afirmou:
cdd41285216767.5d757b2ab6078.thumb.jpg.0b5beb8325036760b521a61ceb979d75.jpg

Somos peregrinos de Fátima, num dia em que celebramos também o aniversário natalício da nossa Mãe do Céu, o dia de hoje, 8 de setembro.
Com esta razão acrescida, saúdo todos os peregrinos aqui presentes, de forma particular os grupos de peregrinos vindos das mais variadas procedências, tanto de Portugal como do estrangeiro e que de qualquer forma se fizeram anunciar; saúdo, particularmente os jovens dos Convícios Fraternos que hoje fazem também a sua peregrinação nacional acompanhados pelo sacerdote, Rev.do Padre Valente Matos, seu fundador, há 50 anos, celebrados precisamente há um ano atrás.
Quando todos os nossos olhares se dirigem já para a jornada Mundial da juventude, -que, por graça de Deus, se realizará em Portugal daqui a três anos, queremos dizer a todos os jovens aqui presentes quanta esperança neles colocamos e quanto desejamos que a preparação e realização desta jornada Mundial da Juventude possa despertar novo entusiasmo em todos eles e nas comunidades que os acompanham.
Caros jovens dos convívios fraternos, na vossa memória estão certamente aqueles três dias de experiência forte de encontro vivo com a Pessoa de Cristo, em clima de festa, de partilha fraterna, de oração e de silêncio, E também lembrais como eles modificaram profundamente a vossa vida, fazendo do quarto dia aquela novidade de entrega generosa ao serviço dos irmãos, quer nas comunidades paroquiais, quer nos diferentes ambientes, que, de facto, esperam sobretudo de vós, a novidade e a diferença do Evangelho.
A nossa oração de hoje é em particular por vós e por todos os jovens, porque - e lembramos as recomendações do Papa Francisco a milhares de jovens recentemente em Moçambique, num encontro inter-religioso - “É preciso viver a vida com alegria e muita esperança; e este é o grande presente que o mundo espera de vós”.
Com Maria, nossa Mãe Santíssima, neste dia do seu aniversário natalício, queremos aprender, antes de mais a escutar e meditar a Palavra de Deus que acaba de ser proclamada nesta nossa assembleia.
Seguidamente D. Manuel continuou a sua reflexão sobre a liturgia da palavra da Eucaristia, e terminou a sua reflexão:
Desejo agora lembrar que estamos a viver o ‘nosso estatuto de discípulos de Cristo em ano missionário e tendo à porta o especial outubro missionário.
Somos convidados a levar a sério o mandato de Jesus Cristo para irmos e levarmos a Boa Nova a todos.
O exercício desta responsabilidade missionária, como lembra o Papa Francisco, começa necessariamente pelo encontro vivo com a Pessoa de Jesus Cristo, sem o qual nada vale a pena e tudo é vazio de valores e de sentido. Depois lembra-nos a necessidade de revisitarmos a vida de tantos santos que se deram sem medida e por inteiro ‘à grande causa das missões e alguns até ao martírio.

 

“Somos convidados a levar a sério o mandato de Jesus Cristo para irmos e levarmos a Boa Nova a todos.”


Este ano missionário é também oportunidade para aprofundarmos ou mesmo retomarmos os caminhos de formação na Fé. O Papa lembra-nos ainda o dever da partilha missionária, em meios materiais e humanos, com as Igrejas mais carenciadas.
Estamos também a iniciar um novo ano pastoral. Confiamo-lo à proteção maternal de Maria Santíssima, Senhora de Fátima, que tão bem nos acolhe neste seu Santuário

O 46º Encontro Nacional terminou com a Festa da Despedida, este ano realizada no Parque nº 8 .Embora um pouco isolado dos outros parques, o espaço foi melhor e as dioceses ali afluíram para um último ato do nosso encontro nacional: a Festa da Despedida, festa quase informal onde sobressaiu a alegria , a juventude , a amizade e partilha das dioceses , a troca de lembranças e, finalmente os abraços de despedida e a mesma boa disposição e esperança: mesmo assim foi bom! Até sempre!...

Partilha!

  • Amo 1


  Denunciar Artigo
Entra para seguir isto  

O que diz a comunidade sobre isto?


Não há comentários para mostrar



Regista-te ou entra para comentar!

Para deixar um comentário é necessário estar registado. É muito fácil!

Criar uma conta

Regista-te e vem fazer parte desta comunidade! É fácil!

Registar-me

Entrar

Já estás registado? Entra aqui!

Entrar agora